quarta-feira, 1 de junho de 2011

Vírgula

Não irei abordar os casos proibitivos (entre sujeito e predicado e verbo e seus objetos) e obrigatórios (marcar intercalação, elipse, isolar aposto,...) do uso da vírgula. Existem centenas de sites que abordam o tema e lugar-comum, realmente, não é a minha praia.

O uso (ou não) da vírgula altera todo o sentido da frase. Não a julguem pela frágil aparência, pois a vírgula pode ser pequena, mas faz toda a diferença na oração.

O uso da vírgula, geralmente, indica uma pausa. Ex.: Ai, espera! / Ai espera sem fim!

A vírgula indica uma opinião. Ex.: Não quero saber / Não, quero saber.

Seu uso (ou supressão) pode indicar, por exemplo, condenação ou salvação de alguém. Ex.: Não tenha pena dele! / Não, tenha pena dele!

Então, toda a vez que usarmos vírgula (s) é importante lermos o que foi escrito, fazendo a pausa necessária quando a vírgula aparecer. Se o sentido for o que, realmente, quisermos dar ao texto, o uso está correto; mas se o sentido estiver contrário ou diferente do desejado, vírgula (ou não).

Bjo e até outra hora.

1 Palavreando:

White Jay 5 de junho de 2011 11:54  

Muito bom,com este exemplo não tem como se perder.

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget

Créditos

Imagens:
Google Image

Fontes:
Michaelis Nova Ortografia
Equipe Brasil Escola
Dicionário Aurélio 2010

Créditos Template

  © Cris Duarte Marinha by Cantinho do Blog 2010

Back to TOP